About Me


Hello! I'm Elen Tabita and I love to read so I had the idea to share my thoughts of my reads, hope you like my blog!

Thanks ;3

Popular Posts

Follow by Email

Followers

AdSense

Superpay

Wednesday, April 1, 2015

Summer Demons - Tradução Trecho



Summer Demons - Livro Individual


Summer Demons
Jenna Shaw fugiu para escapar de pasado. Na verdade, ela pegou o primeiro vôo para Portugal para tentar esquecer de tudo. Porém, parece que deixar tudo para trás não é tão fácil quanto parece.

Ela Pensou que poderia seguir em frente e se libertar de todos os seus medos-- que se ela tivesse algum tempo para si mesma, a dor iria parar. Mas enquanto lembranças surgem por causa de uma brincadeira de mal gosto, seu pasado acaba se chocando com seu presente mais uma vez e ela não pode prever isso.

Os planos de Jenna para ter uma normalidade são atrapalhados pelo carismatico Ethan Brooks. Ela o vê com uma perturbaçao, e ela a vê como um desafio. Mas enquanto ele tenta de qualquer maneira impressionar Jenna, seus truques apenas ajudam a afasta-la cada vez mais. Ele nunca enfrentou esse tipo de problema antes e agora tem que fazer o seu melhor para conseguir conquistar e ajudar sua garota misteriosa.



Trecho Traduzido

Capítulo 01
Vermelho, era tudo que ela via. Chegando na água cristalina, se espalhando, se misturando enquanto o movimento da água empurrava o vermelho pra mais perto dos pés dela. O vermelho profundo ficava cada vez mais escuro enquanto a encurralava.
Ela podia sentir sua respiração acelerar, ficando mais curta e mais barulhenta enquanto ela começava a entrar em pânico. Seu peito começou a apertar, uma pressão insuportável que parecia que uma jiboia a estava apertando e se recusava a solta-la. Sua garganta parecia muito seca e sua respiração acelerada não ajudava em nada enquanto ela tentava engolir na esperança de arrancar a sensação que sentia na garganta.
Isso não está acontecendo. Não é real. Eu vim aqui para esquecer isso, ela dizia a si mesma repetidamente enquanto ficava deita ali, seu biquíni turquesa com detalhes em dourado no sol e suas costas bronzeando vagarosamente. Levantando um braço para ajustar seus cabelos castanhos que estava encostando na água, ela tentou puxa-los para fora antes que a cor vermelha os alcançassem e manchassem as mechas bonitas. O dano seria irreparável se isso a tocasse.
Se movendo na hora certa, ela jogou seus cabelos sobre os ombros para que descansassem entre seus ombros, as pontas molhadas refrescando suas costas enquanto escorriam de cada lado. Ele tentou não se assustar enquanto observava a água ensanguentada que ficava se chocando com a grande boia debaixo dela. A cada onda a água parecia chegar mais perto, subindo em cima do plástico amarelo para alcança-la. O barulho que normalmente era tão tranquilo agora a atormentava, como uma plateia que aplaudia e encorajava sua sanidade enquanto ela escapava para segurança.
Em vez de ouvir o lado lógico de sua mente, seu corpo criava outras ideias. Recuando um pouco ela tentou abrir uma distancia maior entre seu rosto e a piscina anormal embaixo dela. Enquanto seus dedos dos pés afundavam na agua da piscina ela acabou se assustando, automaticamente se levantando para que nenhuma parte dela estivesse perto da beirada. Não importava o quão enojada ela estava, ela não conseguia tirar os olhos da agua, estava hipnotizada pelos movimentos gentis que circulava ainda mais a cor na agua. O vermelho ficou tão expeço que não dava para enxergar os azulejos abaixo da superfície.
Quando mais ela observava, mais ela se lembrava.
Quando mais se lembrava, mais adentro da memoria ela era puxada.
Podia não ser real naquele momento, mas já foi real antes, e Jenna era relembrada mais uma vez daquela memória insuportável.
- -
O silencio era frio. Um grito coletivo passou pela multidão e depois mais nada. Os incentivos e encorajamento havia parado no momento que ele deu um passo a frente e todos seguraram o folego.
Assim que Zac pulou da pedra, todos podiam ver que ele havia calculado mal. Ele não havia pulado longe o suficiente e estava caindo diretamente para as pedras abaixo que estavam mais a frente.
Pessoas já estavam gritando. Elas estavam abraçando umas as outras com medo, algumas escondendo o rosto nos ombros dos amigos para que não pudessem ver. Mas Jenna não conseguia tirar os olhos daquela cena.
Olhando com terror, ela observou enquanto os pés de Zac encostavam na plataforma feita de lama seca e pedras. Sua boca ficou aberta enquanto ele girava. Levantando poeira, seu corpo virou de forma que sua cabeça colidisse fortemente com a próxima plataforma. Ele então caiu mais depressa, fora de controle enquanto a gravidade o puxava para perto da água no fundo, mas não antes dele colidir em todos os obstáculos no caminho durante a descida. Cada pancada parecia mais barulhenta que a anterior enquanto Jenna observava o Corpo de Zac se quebrar, impotente de fazer algo a respeito.
Tudo terminou em questão de segundos. Ainda girando, o corpo de Zac colidiu com a água escura, logo em frente a cachoeira, uma massa de membros flexíveis. Levantando água para o ar, o barulho da queda abafou os gritos de medo que soava na atmosfera. Quando a água se acalmou novamente, Zac ainda não havia emergido.
Os gritos se intensificaram enquanto 3 pessoas, incluindo Jenna, mergulhavam para alcançar o Zac, mas tudo se abafou quando sua cabeça estava debaixo d'agua. O frio foi esquecido enquanto ela emergia do mergulho, removendo a aguas dos olhos. Nadando freneticamente tudo que passava em sua cabeça era encontrar Zac.
Os amigos dele o alcançaram primeiro, seus braços fortes os impulsionando mais rápido. Quando ela parou de nadar e começou a somente se mover pela agua, ela esperava ansiosamente. Um deles havia mergulhado procurando desesperadamente enquanto Jenna esperava que eles fossem o encontrar somente inconsciente. Porém enquanto ele ressurgia da agua, trazia consigo o corpo todo quebrado e sem vida de Zac.
Jenna continuava a observar. Tudo ficou em câmera lenta enquanto os outros tentavam a ajudar manter a cabeça de Zac acima da agua e Tim procura o pulso de Zack. Jenna não viu o balançar de cabeça ou o suspiro triste enquanto seus olhos pareciam desesperados. Os olhos dela estavam fixos na poça de sangue que estava rapidamente se espalhando pela agua enquanto eles se mantiam flutuando nela. Ela podia dizer sem a confirmação de Tim que seu namorado querido havia partido e que não havia mais nada a fazer para traze-lo de volta.
Culpa começou a surgir. Ela queria chorar, gritar, reclamar, ou fazer qualquer coisa enquanto aquele sentimento de culpa aumentava cada vez mais, mas ela não conseguia fazer nada.
Ela se culpava.
Para ela, ela era a maior responsável pela morte de Zac.
--
Jenna não conseguia esquecer a imagem do corpo de Zac flutuando numa piscina de seu próprio sangue na medida que dispersava a memoria. Em todo lugar que ela olhava, se via cercada de uma massa vermelha, assim como naquele dia. A única diferença era que em vez de estar nadando nela, ela estava encurralada acima dela - observando enquanto a cercava. Ela sabia que precisava sair da piscina rapidamente mas sua boia havia sido levada ao centro da piscina e ela não conseguia sair dela. Mesmo sabendo que era tudo um truque de sua mente, ela estava tendo problemas e diferenciar a realidade de suas memorias, mesmo com a logica tentando ajuda-la.
Levantando a cabeça, ela estava prestes a gritar por sua melhor amiga Amy vir ajuda-la quando ela percebeu algo mergulhando abaixo da superfície. A sombra escura estava destorcida pela água mas parecia distintivamente humana.
Jenna gritou estridentemente, quase caindo de sua boia enquanto tentava se afastar daquilo. Seus movimentos agitavam mais a agua enquanto ela se desesperava, sem se importar que todos a estavam observando.
Não é o Zac. É impossível, não pode ser, a mente de Jenna gritava, tentando ver razão enquanto a sombra se aproximava.
Desviando o olhar por um segundo, ela olhou para Amy, implorando com os olhos e desesperada. Ela pensou estar pronta para encarar a água novamente mas ela estava mais que errada. Ela se esforçou demais e agora estava pagando o preço.
A última coisa que ela viu foi o rosto de Amy mudando para uma expressão de preocupação. Linhas de expressão apareceram em sua testa enquanto jogava sua toalha na cadeira de sol onde ela estava deitada e se preparava para pular na água.
Amy acabava de chegar na água quando Jenna foi jogada de sua boia. Virando de forma que ela podia ver o grande céu azul acima de sua cabeça, ela sentiu seu corpo colidir com a água. O líquido gelado cercou ela, a envolvendo com um molde até cobrir sua cabeça. A água abafou qualquer traço de pessoas rindo e brincando. Seu grito foi substituído por borbulhas enquanto ela sentia gosto da água cheia de cloro que entrava em sua boca.
Não importava o quanto ela se mexia, jenna não conseguia alcançar a superfície. Todo senso de direção havia se perdido enquanto estava de olhos fechados, imergindo a si mesma em escuridão conforme ela segurava o folego. Seus braços e pernas se recusavam a se mexer como ela queria e parecia que ela estava debaixo d'agua por minutos quando ela sentiu duas mãos segurar seus braços e puxá-la para cima, o ar morno batendo em seu rosto fortemente enquanto ela respirava profundamente. Removendo a agua dos olhos ele tentou controlar os rápidos batimentos de seu coração, Jenna olhou em volta de si, desorientada, nem ao menos ciente dos olhares estranhos direcionados a ela.

Capítulo 2
"Jenna você está bem?" A voz de Amy estava repleta de preocupação enquanto penetrava a bolha de pânico na qual Jenna se encontrava. Não podia falhar mesmo com o volume alto no qual ela gritava.
Abrindo seus olhos, ela olhou para Amy com seus cabelos longos e louros encharcados e grudados em seu rosto, seus olhos cheio de preocupação enquanto ela a segurava pelos ombros.
"Jenna?" A voz de Amy ficou ainda mais alta ficando cada vez mais preocupada com a falta de reação de Jenna. O que ela realmente queria fazer era sacudi-la para acorda-la, mas ela sabia que a reação de Jenna vinha de algo muito maior do que ser jogada de sua boia. Enquanto ela observava a distancia, Amy percebeu o pânico no rosto de Jenna aumentando rapidamente. Ela estava prestes a ir ajuda-la quando Jenna foi jogada dentro d'agua. Se ela tivesse chegado mais rápido.
Parada ali, Jenna olhava para o nada, sua voz se recusando a obedecer. Ela podia sentir as lagrimas enchendo seus olhos, pedindo para descerem, e não importava o quanto ela piscava, ela não conseguir dispersar as lágrimas. Sem conseguir falar uma palavra sequer, Jenna apenas fez sinal com a cabeça, ela se agarrou ao ombro de sua amiga enquanto as primeiras lagrimas desciam por seu rosto, enquanto ela suspirava.
"Vem, vamos sair daqui," Amy tentava acalmar Jenna. Colocando seu braço ao redor dos ombros de Jenna, ela a guiava para a beirada da piscina, ignorando todos que estavam encarando, fofocando e curiosidades que estavam direcionados a elas. Ela não estava preocupada com a outras pessoas; ela duvidava que Jenna havia sequer percebido tudo isso enquanto presa em seus pensamentos.
"Ei, ela está bem? Era apenas uma brincadeira."
Elas já estavam nos degraus da piscina, chegando na parte mais rasa quando um rapaz alto, bronzeado e loiro apareceu na frente delas bloqueando o caminho. A maior parte de seu corpo estava fora d'agua, propositando uma vista privilegiada do seu abdômen e peitoral definido, com uma linha pequena de pelos loiros que desapareciam no short azul dele, seus braços fortes estavam estendidos, empurrando água ao seu redor como se ele fosse alcançar Jenna.
Parando por alguns segundos, Amy olhou para o rosto do rapaz, e seu perdeu seu folego quando se deparou com seus olhos verdes brilhante. A cor meio esmeralda brilhava com travessura and um pouco de culpa enquanto ele esperava pela resposta. Um sorriso de arrependimento aparecia no canto de sua boca enquanto ele observava as duas, mas não parecia sincero. Enquanto se aproximava de Jenna, seu braço mais uma vez estendido, Amy caiu em si. Ela parou de andar e puxou Jenna pra mais perto dela, deixando claro que não era para ele toca-la.
Pareceu funcionar, seus passos diminuíram e ele começou a mexer com a superfície da agua como se ele precisasse fazer alguma coisa com suas mãos.
"Ela está bem, não graças a você", Amy respondeu, defendendo sua amiga que estava muito perturbada para responder.
"Me desculpa, era para ser apenas uma brincadeira." Suas feições perderam qualquer humor quando ele viu que Jenna não estava nada bem. Sua voz era suave e de arrependimento. Era o tipo de tom que Amy sabia que os rapazes costumam usar quando precisam sair de uma situação difícil e que fazia as meninas ficarem gamadas neles, mas Amy conseguia ver através dessa farsa e não importava o qual bonito ele era, ela não podia achar atraente um rapaz que fez algo desse tipo com Jenna.
"Então da próxima vez seria melhor você pensar antes de agir. Não é todo mundo que vai gostar das suas brincadeiras."
Percebendo que ele não conquistaria Amy, ele se virou para Jenna, que naquele momento estava tremendo nos ombros de Amy em choque.
Abaixando sua cabeça, ele tentou olhar nos olhos de Jenna mas ela se recusou a olhar para ele. Isso apenas serviu para deixa-lo mais perplexo por suas técnicas falharem.
"Me perdoe; por favor me deixe compensa-la.
Ele tentou tocar no braço de Jenna mas desistiu depois que ela recuou, se aproximando ainda mais de Amy.
"Ela não está interessada em babacas."
Enquanto Amy trocava insultos com o loiro misterioso, Jenna podia sentir a pressão do pânico em seu peito. A cobra estava se movendo através de seu corpo até seu pescoço, se recusando a larga-la enquanto ela fica ainda mais tempo dentro da agua. A Agua jah não estava mais vermelha mas a imagem ainda estava viva em sua mente. Suas mãos foram parar em seu peito, tentando massagear para desprender um pouco da pressão mas não estava funcionando e sua respiração acelerou mais uma vez.
Ela precisava sair da água.
"Amy, Eu, Eu tenho que sair," Jenna estava gaguejando entre suas respirações, suas mão começando a tremer descontroladamente enquanto ela se afastava de sua amiga. Ela se recusou a olhar nos olhos de Amy, não queria ver a preocupação e pena que ela sabia que estaria claro em seu olhar. Ela já estava cansada da pena das pessoas.
"Eu tenho que sair daqui, me desculpe." Gaguejando novamente, ela já havia se desviado da tentativa de Amy de sair com ela e estava agora passando pelo rapaz que estava em seu caminho para subir nos degraus. Se movendo o mais rápido possível, Jenna podia sentir as ondas estavam puxando contra seu estomago enquanto ela parava para se segurar no corrimão dos degraus.
"Jenna, espera! Espera um pouco" Amy gritou atrás de Jenna mas Jenna nem ao menos olhos para trás. Ela estava muito concentrada em sair da agua.
Subindo os degraus, ela podia sentir o pânico a deixando pouco a pouco conforme ela saia da agua. Quando seus pés alcançaram os azulejos, ela andou o mais rápido possível em direção a sua toalha, jogando por cima de seus ombros e correndo para seu quarto de hotel.
Amy apenas a observou ir, tentando não segui-la, sabendo que Jenna precisava de alguns minutos sozinha antes dela conversar. Ela não gostava de deixar ela sozinha enquanto ela estava neste estado, mas ela sabia quando era hora de não insistir. 19 anos de amizade eram o suficiente para ela aprender como lidar com Jenna.
"Olha, eu realmente não quis fazer nada errado. Eu apenas estava tentando chamar atenção dela e quebrar o gelo. Eu não pensei que ela poderia reagir dessa maneira." o rapaz loiro começou a falar novamente, tirando Amy de seus pensamentos para que ela pudesse confronta-lo.
"Não, você não pensou não é? Nem passou pela sua cabeça que ela poderia não gostar de estar na água? que ela poderia não saber nadar? que ela poderia ter um grande medo que você não poderia imaginar? Amy parou de falar na mesma hora que percebeu que estava falando demais para o rapaz que ela não gostava instantaneamente. Ela imaginava que Jenna não ia gostar de ter seus segredos expostos assim.
"Ela não sabe nada? Então porque ela estava na piscina? Ele não parecia encorajado pela raiva de Amy;
"Ela sabe nadar, eu apenas estava hipotetizando que você não sabe nada sobre ela," Amy suspira, frustrada pelas perguntas.
"Tá bom, entendi. Eu apenas presumir que ela iria rir, não reagir dessa forma. Porque ela tem medo de agua? Ele cruzou seus braços e esperou pela resposta, um olhar de interessado mas impaciente no seu rosto.
"Não é algo que eu devo contar."
"Eu não vou dizer que você me disse, eu juro. Como eu posso compensa-la se eu nem tenho ideia do que fiz?
"Você não compensa. Você fica bem longe dela e esquece que a viu. Ela já tem muitos problemas sem você acrescentando mais dores." Amy estava rapidamente se cansando da curiosidade dele. Tudo que ela queria fazer era ir ver como Jenna estava mas toda vez que ela movia em direção aos degraus ele bloqueava seu caminho.
"Que problemas ela tem?
"Não é da sua conta.," Amy disse irritada que ele não saia da frente dela.
"Ela é solteira?"
"Ela não está interessada em rapazes no momento. DEIXE. ELA.EM.PAZ."
Ele apenas fez uma cara para o drama de Amy enquanto ela tentava ameaçá-lo.
"Você que diz," ele respondeu com um sorriso arrogante e isso fez Amy acreditar que ele iria fazer exatamente o oposto que ela mandou.
Mais interessada em achar sua amiga, Amy empurrou ela para longe do caminho, tendo certeza que ela não iria tocar os músculos dele mais do que o necessário. Felizmente ele saiu facilmente do caminho, se afastando para que ela pudesse brigar contra a agua pelos degraus.
Ele observava Amy enquanto ela saia da agua, seus quadris rebolando com o movimento. Não havia duvidas que ela era bonita, mas ela não conseguiu tirar os olhos de Jenna a partir do momento que a tinha visto. Deitada de cabeça baixa na boia, seus cabelos castanhos brilhando no sol aparecendo algumas mechas vermelhas. Ela havia levantado a cabeça algumas vezes e seus olhos castanhos que quase pareciam âmbar no sol, e seu rosto bonito chamaram sua atenção.
Ele estava com raiva por ter estragado tudo. O medo no rosto dela enquanto tremia faziam ele quere nada mais do que abraça-la. Não era algo que ele deveria fazer e também não era uma reação normal, mas ele não conseguia compreender o que ela estava passando - o que havia acontecido com ela para reagir dessa forma - mas uma coisa era óbvia para ele; havia algo muito mais do que apenas uma má reação a uma brincadeira. Ninguém havia reagido dessa forma com ele e apesar de uma parte dele achar mais inteligente esquece-la, como sua amiga mandou, uma parte ainda maior estava intrigada por ela. Ele queria chegar ao fundo do mistério que era ela, e jurou que de que alguma forma ele iria compensa-la.

0 comentários:

Post a Comment

Search

Reading - Lendo

my currently-reading shelf:
Elen Tabita's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (currently-reading shelf)
Script Kiddie


Elen Tabita's favorite books »

Goodreads


2015 Reading Challenge

2015 Reading Challenge
Elen has read 24 books toward her goal of 130 books.
hide

Labels - Marcadores

Follow Me


Google+ Badge

Adsense

About Us|Contact UsPosuere. YOOtheme


Faucibus diam risus maecenas pretium.